Um Programa de Suporte Acadêmico online para estudantes no pós-pandemia

pelo educador Mateus Geraldo Xavier (filósofo)

Mesmo após o momento mais grave da pandemia Covid-19, que teve como consequência a morte de mais de 660 mil pessoas e também o agravamento das desigualdades sociais/ econômicas, muitos são os desafios enfrentados por estudantes, pais e professores. Entre eles, destacam-se as dificuldades de aprendizagem.

A pandemia não inventou as desigualdades, somente as explicitou mais claramente. No aspecto educativo, ainda antes da covid, a escola já se via provocada a atender a contento o direito de cada estudante à aprendizagem. O Anuário da Educação de 2020 indicava alguns dados preocupantes. Somente 61,8% dos jovens de 15 a 17 anos que pertenciam aos 25% mais pobres estavam matriculados no Ensino Médio. Essa proporção era de 90,8% entre os 25% dos jovens mais ricos.

De cada 100 alunos que ingressaram na escola, apenas 65 terminaram o ensino médio na idade adequada (19 anos). Entre os 25% mais pobres, o percentual era de 51% contra 88% entre os 25% mais ricos. Em geral, apenas 29% alcançavam o conhecimento adequado em Língua Portuguesa, e somente 9% na disciplina de Matemática. Seguramente estes poucos dados se agravaram na e no pós-pandemia.

Centenas de milhares de estudantes não tiveram acesso à internet de qualidade. Nem sempre os que a tinham portavam os equipamentos mínimos necessários para acessar as plataformas propostas pelas escolas. Acrescente a isso a falta de espaço adequado para o estudo, bem como a necessidade de muitos estudantes deixarem os estudos para ajudar os pais na sobrevivência.  

Com o retorno às aulas presenciais, vamos nos dando conta da importância educativa dos vínculos afetivos entre estudantes, professores e demais educadores para o processo de aprendizagem e de socialização. Mas também testemunhamos as lacunas acadêmicas nas diversas disciplinas curriculares. 

De todo modo, além do reconhecimento pelas famílias e sociedade do lugar insubstituível da escola, um legado ficou da pandemia, a saber: a relevância da educação mediada pelas tecnologias digitais. Estas podem se somar à escola presencial para ajudar a sanar tais dificuldades acadêmicas. A educação complementar à distância (Ead), como complemento à escola regular, tem seu lugar assegurado no presente e no futuro. Aliás, não é novidade que os estudantes sempre recorreram às redes sociais para sanar suas dúvidas. A diferença é que agora essa tarefa pode contar com a ajuda de professores em tempo real, assegurando a interação entre ambos e oferecendo critérios para curadoria de materiais didáticos.

Para mitigar um pouco os problemas vivenciados na aprendizagem, decorrentes do afastamento escolar na pandemia, muitas iniciativas têm sido propostas. Muito tem se falado da necessidade do estabelecimento de um Pacto Educativo Global entre todos os atores envolvidos com o mundo da educação. Entre nós, governos, movimentos sociais, sindicatos, igrejas e escolas têm feito mutirões para colaborar no processo de aprendizagem. Como contribuição para com as experiências existentes, criamos o Portal Jornadas, uma iniciativa inteiramente online, protagonizada por uma rede de professores experimentados, de vários estados brasileiros, que se dedica à formação humana e educativa para as várias faixas da vida humana (infâncias, adolescências, juventudes, adultos, adultos+). Não se trata de uma empresa visando apenas ganhos financeiros, mas de uma rede nacional que agrega professores que podem e desejam fazer diferença na vida dos aprendizes.

Dentre as várias ações que se iniciam, destaca-se aqui o Programa de Suporte Acadêmico (PROSA), uma proposta que funciona simultânea à escola regular, que oferece:

a) acompanhamento individual e/ou em grupo para estudantes que tenham necessidade de se organizar e desenvolver metodologias específicas de estudos;

b) reforço da aprendizagem nas várias disciplinas do Ensino Fundamental II e Ensino Médio, à luz do antigo currículo e da atual Base Nacional Comum Curricular (BNCC);

c) Cursos preparatórios ao Ensino Médio nos quais se retoma as habilidades e competências de cada disciplina do currículo, suportes para a continuidade dos estudos;

d) Cursos pré-universitários para estudantes que queiram fazer revisão nos principais componentes curriculares e temas em preparação ao ENEM e/ou outras universidades.

Estamos convencidos de que, ao mesmo tempo que o estudante frequenta a escola regular de maneira presencial, pode, no contraturno, buscar, por meio da educação digital, acompanhamento mais personalizado no atendimento de suas necessidades acadêmicas. E o mais importante, todas as ações educativas propostas pelo PROSA têm a mediação de educadores altamente qualificados e comprometidos com a excelência humana e acadêmica dos estudantes.

Similar Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.