cursos livres para crescer

Sua jornada passa por aqui

Para você que quer aprender e para você que quer ensinar

O portal Jornadas abre as portas para você, educador (a), que quer propor sua experiência educativa e para você, estudante, que quer conhecer um pouco mais sobre si e sobre o mundo.


Nosso projeto conta com muitas possibilidades para fazer da jornada do conhecimento um percurso repleto de muitos aprendizados e descobertas. O sábio escritor Guimarães Rosa já afirmou: “mestre não é quem sempre ensina, mas quem de repente aprende”.


No nosso portal, o processo de ensino-aprendizagem é cíclico e constante: de repente se aprende, de repente se ensina. Venha conosco vivenciar essa aventura!


Estamos aguardando você. É só começar!

Page d'écriture

(…)
Mais tous les autres enfants
Écoutent la musique
Et les murs de la classe
S’écroulent tranquillement.
Et les vitres redeviennent sable
L’encre redevient eau
Les pupitres redeviennent arbres
La craie redevient falaise
Le porte-plume redevient oiseau.

Mas todas as outras crianças
Escutam a música
E os muros da classe
Se desfazem tranquilamente.
E os vidros voltam a ser areia
A tinta volta a ser água
As carteiras voltam a ser árvores
O giz volta a ser falésia
O porta-pena volta a ser pássaro.

(tradução própria)

Jácques Prévert

(1900-1977)

Reproduzir vídeo

o que é o jornadas?

Portal de cursos livres formado por educadores

Grupo de educadores criativos e engajados, com anos de experiência nos mais diversos segmentos de ensino, tendo juntos vivenciado um projeto ímpar de educação em uma escola de referência nacional.Todos sonhadores de uma escola sem muros, em rede, feita em nós e por nós.

Cursos para diversas faixas da vida

 A renomada escritora brasileira, Ruth Rocha, prefacia, de uma forma muito inspiradora, a edição de sua obra: “Os direitos das crianças”. Ela afirma: “alimento, cuidados, moradia, escola e família são direitos que todos reconhecem às crianças, embora nem todas elas gozem desses direitos na realidade. E mesmo que todas as crianças do mundo cheguem a alcançar esses direitos, falta nessa enumeração um direito que é básico, inalienável, de todas as crianças: o direito à infância”. Ao nos depararmos com essa citação, parece, pela leitura da superfície textual, que a autora está afirmando algo óbvio, visto que, se ela menciona o ser criança, pode-se inferir, assim, a existência da infância. 

       Obviedade negada. Hoje, no Brasil, muitas crianças ainda têm ignorado seu direito à infância. O brincar, o descobrir, o supor, o imaginar, o hipotetizar – habilidades tão importantes para a vida adulta, inclusive, são cotidianamente desprezadas devido às cruéis condições sociais e às desigualdades várias que rodeiam aqueles e aquelas que deveriam, apenas, se preocupar em serem integralmente infantes.

        Dessa maneira, nosso projeto Jornadas se propõe a oferecer um espaço de muita troca e interação entre as crianças para que se possa desvendar todos os dias um pouco mais sobre as infâncias brasileiras; se possa aprender com elas e frutificar ações em prol da plenitude dos direitos dessa fase, sem que eles sejam negociados e/ou deturpados. Afinal, como canta o grande Milton Nascimento: “há um menino, há um moleque morando sempre no meu coração. Toda vez que o adulto balança ele vem pra me dar a mão”. Não deixemos as crianças desamparadas, porque, deste modo, também nós nos abandonamos. Cuidemos do futuro, fazendo pelo presente!

O período da adolescência é considerado uma fase que marca a transição entre a infância e a idade adulta, quando ocorrem muitas mudanças corporais, fisiológicas e comportamentais. É ainda citado com frequência por alguns autores como uma etapa crítica de maior vulnerabilidade para os jovens. 

Segundo os estudos Stanley Hall (1904), por exemplo, um dos pioneiros a descrever sobre este estágio, “a adolescência representa um momento crítico no desenvolvimento humano, com tensões e conflitos entre os impulsos dos adolescentes e as demandas da sociedade”. Já de acordo com Herculano-Houzel (2013), outra estudiosa, “o comportamento adolescente é resultado de um cérebro adolescente.” Ela afirma que o comportamento nessa fase é muito mais do que hormonal. Ele está ligado ao amadurecimento do cérebro, que só é finalizado por volta dos 22 anos de idade.

Percebe-se, desta forma, que muito se tem discutido acerca de ser esta uma fase em que o indivíduo conquista plenamente a identidade pessoal, já que as experiências acumuladas até então podem marcar esse indivíduo como um ser único. Tendo em vista, portanto,  a importância dessa faixa etária e os desafios propostos por todas as turbulências inerentes a ela, pretendemos auxiliar, por meio de formações, informações, cursos e projetos, os adolescentes, bem como seus familiares e professores para que possam lidar da melhor maneira com esse período.

Ainda tem sido comum definir a juventude como sendo a fase situada entre a infância e a idade adulta. Essa compreensão não faz jus ao jovem portador de identidade própria, mas apenas como transição, sem sentido em si mesma. A verdade é bem outra. Em primeiro lugar, há muitas juventudes. Em segundo, cada uma delas é a expressão de um jeito de ser pessoa no mundo. Tal expressão se constitui na relação do jovem consigo, com o outro, com a natureza, com a sociedade, com a transcendência e com o futuro. Ou seja, as juventudes são um nó de relações abertas em todas as direções.

Talvez uma das características das juventudes seja a capacidade crítica diante do mundo e da vida. Franz Kafka, grande literato do século XX, dizia que “a juventude (digo, as juventudes) vence (m) tudo: a impostura, a astúcia mais dissimulada e não há ninguém que possa detê-las no voo da vitória”. Sabemos hoje que a grande vitória que cada jovem pode alcançar é a vitória sobre si mesmo, ou seja, sobre suas próprias dificuldades, limites e condicionamentos que lhe são impostos.

Neste sentido, o Portal Jornadas vem colaborar com as diferentes juventudes no sentido de oferecer um universo de atividades pedagógicas que têm por objetivo ajudá-las na realização de seus sonhos, sobretudo aqueles que passam necessariamente pela excelência humanista e acadêmica.

Quando falamos de educação para adultos podemos nos concentrar no ciclo escolar tradicional, mas também podemos falar da educação ao longo da vida. No primeiro caso, estaremos atentos aos adultos que precisaram interromper sua formação básica, mas buscam caminhos para completar sua jornada escolar. No segundo caso, nossa atenção se volta para aqueles que querem se aperfeiçoar: podem estar em busca de atualizar seus conhecimentos, aprimorar o desempenho em alguma atividade, ou podem estar dando vazão a um antigo sonho. Em qualquer caso, o adulto sabe bem o que quer.

Diferente das crianças e dos adolescentes, sobre as quais existe uma força social exigindo suas presenças na escola, o adulto entra no processo de estudo por motivação interna. Vê na educação o caminho para transformar um desejo em realidade concreta. O adulto é conhecedor de suas necessidades e de sua motivação, por isso, tende a estudar de forma mais autônoma, buscando a experiência e a aplicação prática. O educador Paulo Freire (1921-1997) nos lembrou que somos homens e mulheres conscientes de nosso inacabamento. O estudante adulto, portanto, consciente de sua história inacabada, é alguém que busca, pela educação, o suporte para tornar sua vida melhor.

O Portal Jornadas, respeitando esse tempo adulto, tem o intuito de ajudar esses atores a serem cada vez mais protagonistas de suas vidas.Por meio de projetos de apoio acadêmico e de sócio emocional, além de uma sólida proposta de Projeto de Vida, o estudante poderá encontrar neste espaço direcionamentos para a realização de seus sonhos.

Na obra Grande Sertão Veredas, Guimarães Rosa afirma: “o mais importante e bonito, do mundo, é isto: que as pessoas não estão sempre iguais, ainda não foram terminadas – mas que elas vão sempre mudando.” Ou seja, nesse trecho, o narrador promove um grande elogio ao processo de metamorfose, à transformação contínua, permanente e, muitas vezes, fisicamente notada. 

Concordando com esse grande autor brasileiro, acreditamos que as pessoas vivem um constante processo de construção e reconstrução de si, se fazendo e se refazendo a partir do que aprendem, em todas as fases da vida. E diferentemente do que se pratica socialmente, a terceira idade, apesar de tantos preconceitos e tabus, frutos do etarismo, também se constitui assim: mudando. 

Por isso, é com essa visão que propomos uma jornada de aprendizagem com cursos voltados para a inspiradora faixa etária dos idosos, a que chamamos, carinhosamente, de “Adultos+”, exatamente por reconhecer que esse grupo tem mais experiências para comunicar, mais saberes a compartilhar e ainda mais brilho nos olhos para aprender. E se, como defende Rosa, ainda não fomos terminados, é porque temos um universo a conhecer: independente da idade.

“O que faria Paulo Freire (1921-1997) se estivesse nessa situação? O que faria aquela minha professora que sempre admirei? E aquele parceiro professor que tanto me inspira?” Quando estamos de frente a uma situação desafiadora, a solidão docente é tão grande que até nos esquecemos das nossas referências ou perdemos a fé e o crédito nelas, mesmo que por alguns instantes. Mas, aprendi com a caminhada, que quando unimos nosso(s) nó(s), simbolizados por um cotidiano marcado em desigualdades, com outros nó(s), de outros companheiros, tecemos uma rede, um macramê, que não tem começo nem fim, mas que se transmuta em uma rede forte de grande potência e infinitas possibilidades.

Que caminhos criativos podemos criar no chão da escola? Que caminhos criativos podemos criar em outros espaços educativos? Como podemos unir nossas experiências sem impor artefatos, mas costurando linhas antes paradas em novas tecituras? Com seriedade, profundidade e acima de tudo, prática. Ouvir aquela inquietação no peito de querer fazer diferente, de romper com o mecanicismo, mas agora dar vazão à ação e reflexão JUNTOS. Não mais sozinho em terreno solitário. 

No Jornadas, uma equipe de grandes educadores que vivem o chão da Educação Básica em diversos contextos escolares e não escolares, com pesquisa, reflexão, ação e muita práxis espera você de braços abertos, com o compromisso de melhorar a educação sob o efeito multiplicador da formação inicial e continuada. Com resultados diretos no seu cotidiano, na sua carreira e principalmente nos seus alunos. Transformando os nós de dificuldades, em nós de grandes potências.

A família representa um grupo social primário que influencia e é influenciado por outras pessoas e várias instituições em diversas frentes: educacional, religiosa, esportiva, cultural, entre outras. Além disso, a família é unida por múltiplos laços capazes de manter os membros moral, material e reciprocamente durante uma vida e algumas gerações. O filósofo e professor Mario Sergio Cortella afirma ainda que “as famílias confundem escolarização com educação”. Para ele, é preciso lembrar que a escolarização é apenas uma parte da educação. Educar é, em primeira instância, tarefa da família.

De fato, educar por meio da escolarização é uma tarefa desafiadora para as famílias nos tempos atuais e a parceria com as instituições de ensino e os educadores é de extrema importância para um ganho real das habilidades e dos valores, tanto no mercado de trabalho como no convívio em sociedade. 

Portanto, o Portal Jornadas têm um objetivo explícito de aproximar e integrar as famílias no processo educativo e escolar; de pensar e vivenciar, por meio da educação e do saber, com atividades bastante especiais: criativas, tecnológicas, de organização, de planejamento de estudo, de conhecimento, de leitura, de cultura, de inteligência emocional, de projeto de vida, advindas todas elas dos nossos excelentes educadores. Estamos dispostos a auxiliar as famílias na missão complexa, mas engrandecedora, de educar seus filhos e filhas. Contem conosco!

Cursos em Destaque

O aprendizado geralmente acontece nas salas de aula, mas não é este o único lugar. Uma escola sem muros gera uma rede de conexões entre pessoas e aprendizagem. Estamos aqui para facilitar as suas experiências de aprendizado, independentemente do contexto. Venha para essa JORNADA com a gente!

Nossos cursos

Estudante, aprendiz, curioso, curiosa, aquele ou aquela que quer conhecer, saber mais, aprender.

Instituições que buscam apoio para capacitações, formações continuadas de suas equipes e outras iniciativas formadoras.

Educadores e educadoras que têm um curso planejado e querem hospedar sua ideia na nossa plataforma, contando com um precioso suporte técnico e a curadoria dos educadores anfitriões, prontos para recebê-los e auxiliá-los da melhor maneira.

Notas da Jornada​

Notas da Jornada é o nosso blog! Este é o nosso espaço para trocas e reflexões a respeito de todo o universo que abrange as experiências de ensino-aprendizagem. Vamos juntos pensar sobre a educação e conectar os saberes. Nossa rede se fortalece em nós. Leia-nos! Comente-nos! Assim, vamos fazendo pontes e construindo jornadas do conhecimento.

Os desafio do Novo Ensino Médio

pela educadora Carla Rênes (química) O Novo ensino Médio foi promulgado pela Lei 13.415/2017, estabelecendo novas diretrizes e bases para a educação no país. A

Leia mais »

Último episódio das
nossas Jornadas Sonoras

Inscreva-se em nossa newsletter

Assim você não perde nenhuma novidade do Jornadas